quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Coisa de Paulista e Centro:
Corrida de São Silvestre 2014

Hoje vou colocar um segundo post no ar, já que participei da 90ª Corrida Internacional de São Silvestre (tradicional evento que acontece em Sampa no último dia do ano, todos os anos ininterruptamente desde 1925) e achei algumas fotos e fatos interessantes:



Fui  de "pipoca" mesmo, ou seja:
sem pegar inscrição, sem receber camiseta do evento nem medalha no final.
Fui pelo prazer de correr mesmo!
E para aproveitar várias ruas abertas,
como a Avenida Paulista , Brigadeiro Luis Antônio, Av. Rio Branco, ruas do Centrão etc.
(ainda mais que eu sempre corro em calçadas e tenho que esperar semáforos fechados).
Não corri só para ter uma medalha.
Falando em ter por ter,
isso até me lembra a música "Qual Violência" da banda "Cólera", uma das pioneiras do punk no Brasil:
"Ter é mais importante do que ser / Mas não para mim / Eu não sou assim."


Vi esse "Zé Gotinha" de Sangue um dia antes no jornal da TV, com a mensagem:
"Doe Sangue / Compartilhe Vidas".
Muito nobre! Eu curto esta causa! E pratico várias vezes por ano!
Eu até pensei em doar hoje depois da corrida, mas estava só o pó!
Veja aqui o que já escrevi sobre minhas doações de sangue e plaqueta no blog.

E, junto dele, um cangaceiro verde e amarelo!

A banda Blue Men Group não são três pessoas?
Bem, vai ver que a versão de Iperó, interior de São Paulo, são apenas duas!
E parabéns por correr, ainda mais segurando cartazes,
pintados de tinta azul, usando luva e também touca a cabeça!

Um repórter entrevista uma Caveira Viva;
e um Chaves atrás, só esperando sua vez.

Protestos pacíficos.
E, se não me engano, acho que os vi (ou alguns com trajes muito parecidos com os deles)
no Solo Sagrado de Guarapiranga, há alguns meses.

Um Hare Krishna?
Vi também uma Freira Católica subindo a Brigadeiro correndo,
as não deu tempo de tirar foto...

Homem-Aranha sofrendo com o calor!
E o herói correu pra valer, não era só "poser",
pois eu o encontrei quase 12 km depois!

Só mesmo o indulto de Natal para liberar os presidiários estereotipados
(a la Irmãos Metralhas) para correr livremente! 

Lição de vida: mesmo com limitações de saúde,
a criaça e a família participa do evento e da festa.

Olhando sentido Consolação, não se vê o final da Paulista neste mar de gente...
...e nem o começo da avenida, sentido Paraíso.
Li em algum jornal sobre 30.000 pessoas!
Caramba!
Como se fosse toda a população de Araçoiaba da Serra (SP)
reunida na rua para a corrida!
Ou todo o povo de Cambuí (MG) ou de Piumhi (SP) 
ou de Iguape (SP).
Muita gente mesmo!

E pensar que Réveillon na Paulista estão prevendo 2.000.000 de gentes!
Meu Deus! Como se fosse todo a galera de Manaus (AM) 

ou quase todo mundo de Belo Horizonte (MG)! 
Cruz credo, que muvuca! Respeito, mas, sinceramente, não curto...

Putz!
Passar na frente do restaurante árabe "Habib Ali",
na Avenida Rio Branco (região da Santa Ifigênia) e
não poder comer um shawarma nem uma esfiha de zaatar
é muita tentação!!
(para saber mais sobre essa delícia,
procure na internet, há muitas referências,
embora os donos originais tenham saído, continua muito bom).

E eu encontro um Minion na corrida!!

Ops! Dois Minions e o próprio Gru,
do desenho 'Meu Malvado Favorito
("Despicable Me" no original em inglês,
ou "Gru, O Maldisposto", para nossos irmãos de Portugal).

Na famigerada subida da Brigadeiro, encontro,
no sentido contrário dos corredores,
uma pessoa vestida de Flash
(ou algo parecido com o herói da DC,
pois o símbolo é ligeiramente diferente,
lembra o Professor Zoom, o Flash Reverso,
mas de roupa vermelha ao invés de amarela)

E o mais curioso é que eu o encontrei um dia antes,
em plena hora do almoço,
passeando pela Paulista com uma lata de cerveja na mão...


Esta mulher estava com dor nos pés após a corrida.
Eu entendo e sou solidário à dor dela.
Mas tirar os tênis sujo em pleno Metrô e
colocar os pés suados em cima de um banco
(em que alguma pessoa se sentaria depois)
não acho correto...

E, embora eu tenha escutado muita gente comentando lá no evento sobre o favoritismo dos quenianos, quem acabou ganhando este ano foram atletas da Etiópia!

E, falando sobre África, os nigerianos, congoleses e afins da região do Largo do Arouche estavam em peso observando e torcendo pelos atletas que passavam por lá! Eu ia tirar uma foto deles, mas não tive oportunidade. 

E espero que nenhum corredor empolgado e desavisado tenha chamado algum deles de queniano... 

Bem, não costumo andar por aquelas bandas, só em eventos especiais como este e a Virada Cultural (e olhe lá). Por isso, aproveitei a multidão e a organização para esse tour saudável na capital hoje.

Abraços e até ano que vem!!

Leandro M:-D>
31-dez-2014
"Se você é jovem ainda, jovem ainda, jovem ainda,
Amanhã velho será, velho será, velho será,
A menos que o coração, que o coração sustente 
A juventude que nunca morrerá."
(Chaves)
np - New Model Army - space 

Ocupação Laerte: deixando meu desenho

Fomos à exposição 'Ocupação Laerte" no Itaú Cultural, na Avenida Paulista , em São Paulo. 
Trata-se de um evento de outubro de 2014 recheado de trabalhos de todas as épocas do(a) grande cartunista Laerte.

E lá havia um painel onde as pessoas podiam desenhar ou escrever algo, como um grande livro de visitas. Bem criativo.

Eu fiz um singelo desenhinho lá em homenagem a esse(a) grande artista, que admiro desde minha adolescência, e que brinda meu último post do ano:




"Laerte agradece a presença
M.D. e Rápis curtiram."



Aqui, um vídeo do momento que eu faço o desenho:



Abraços e feliz ano novo a todos! Que haja mais ocupações e intervenções como essa em 2015.

Leandro M:-D>
outubro/2014
"Se hoje você acordou com o pé esquerdo, lembre-se:
 O próximo passo será com o pé direito!"
np - Ramones - Take The Pain Away

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Coisa de Bicho: Mandy e o Regador do Mal

A cadelinha Mandy é uma cock-a-tzu (mix de cocker spaniel e shih-tzu) que faz umas coisas engraçadas às vezes.

Ela estava curiosa quando eu aguava as plantas com o regador, então deixei o objeto no chão para ela apreciar mais de perto. 

Acontece que ela estranhou bastante a presença dele...

Eis o vídeo:



O que será que passa na sua cabecinha, né?
Só sei que é a bichinha é divertida!

Abraços e até mais!
Leandro M:-D>
nov/2014"O que viveu mais não é aquele que viveu até uma idade avançada, 
 mas aquele que mais sentiu na vida."
(Jean Jacques Rousseau)
np - Brujeria - La Migra

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Coisas de Sacomã: Cadê o Olho do Ponto?

Há algum tempo, no Km 13 da Via Anchieta, perto da divisa de São Paulo com São Bernardo do Campo, havia um ponto de ônibus pintado com um grafite bem legal, que era um olho antropomórfico (ou humanoide, com pernas, braços e roupa).

O ponto em 14-10-2014
Mas um mês depois, fizeram o "favor" de pintar o ponto de ônibus e apagar a arte de rua. 

O ponto em 15-11-2014

Que lástima. 

Abraços.

Leandro M:-D>
dez/14
""Igual ao cão que volta ao seu vômito, o estúpido repete a sua tolice." (Proverbios 26:11)
np – Stratovarius - Father Time


quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Mini Track-ball antigo

Quem lembra disso? Esse Mini-Trackball era usado, há alguns anos, para fazer apresentações com um programa de computador, estilo Power Point.

Com o cabo de 1,80 m conectado ao micro via entrada serial ou PS2 (mini-din), o usuário podia ficar distante do equipamento enquanto passava os slides à distância. 

Eis a pérola, que acho que foi meu amigo Tomé que me entregou há anos:



Caixa original do produto da marca Fellowes.
Verso da caixa.
O aparelho e seus botões.
Manual em inglês (eu acho que isso era importado).
Esquema dos três botões: ALTERNATE, POINT e DRAG LOCK.

Adendo do manual, de 1995.
Disquete 3 1/2" com os drivers para DOS e Windows 3.0 e 3.1.
Conteúdo da caixa.
Entrada serial ou PS2 (mini-din)
Requisitos mínimos: IBM PC, PC/XT. PC/AT, PS/1, PS/2 ou 100% compatível.
Rodando PC-DOS ou MS-DOS versão 2.0 ou anterior.
256 Kbytes de memória.
Realmente: cabo com comprimento de mais ou menos 1,80 m (altura de uma porta).
É só enrolar, colocar no bolso, e levar para sua apresentação.

Seria um bom presente para dar neste Natal? Não sei, só se for para colecionador de antiguidades tecnológicas...

Abraços e boas festas!

Leandro M:-D>
dez1998/dez2014
"Quem só fala dos grandes, pequeno fica." (Apparício Torelly, o Barão de Itararé)
"Who speaks only about the great ones, becomes small." (Apparício Torelly, Baron Itararé)
np - Tom Waits & Crystal Gayle - I Beg Your Pardon

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Linha do Tempo da Ficção Científica Britânica: Finalizando

Nos último posts tenho falando sobre a mostra a linha do tempo da Ficção Científica Britânica, criada pela Cultura Inglesa e exibida em 2011 em São Paulo (cliquem aqui para ver o post mais recente sobre assunto).

Aqui, vemos os momentos finais desta cronologia, bem como algumas fotos de outros painéis que enriqueciam a exibição:



1994: HQ Os Invisíveis, de Grant Morrison
(inspirado em J.G. Ballard, Michael Moorcok e os situacionistas).

1995: Ken MacLeod, autor de Star Fraction.

1997: Charles Stross, autor de A Colder War.

1997: HQ Visões de 2020, de Jameie Delano, pelo selo Vertigo da DC Comics.

1998: China Mieville, autor de Rei Rato.

OUTROS MUNDOS

2000: Alastair Reynolds, autor de Revelation Space.

2003: Jon Courtnat, autor de Grimwood.

2005: Geoff Ryman, autor de Air.

2007: Ian McDonald, autor de Brasyl.

Balção com várias HQs, livros e pôsteres.

Cenário de destruição apocalíptica.

Tornado apocalíptico.

Nave espacial.

final dos 1980s: movimento Steampunk
(obras ambientadas no passado com paradigmas tecnológicos modernos).

Obrigado pelo visita!

Espero que tenham gostado!

Abraços e até uma próxima!
Leandro M:D>
São Paulo, maio2011 / novembro2014
"Lamentar aquilo que não temos é desperdiçar aquilo que já possuímos."  (Provérbio Chinês)
np - Pantera - Walk

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Gigi e o Amplificador

Esse vídeo de da cadelinha poodle Gigi há alguns anos em cima de um amplificador é curioso: como ela podia subir e descer correndo do sofá, que era da mesma altura do aparelho, mas quando a colocamos em cima dele, ela ficou "chorando" porque não conseguia descer? Vai entender...


E olhando a cachorrinha nesta posição em cima do som, me lembrou o cachorro-propaganda antigo dos gramofones da RCA Victor:




Abraços e até a próxima
Leandro M:-D>
março-2008/dezembro-2014
"É mais fácil sustentar dez filhos que um vício." (Apparício Torelly, o Barão de Itararé)
np - Die Toten House feat. Joey Ramone - Blitkrieg Bop

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Linha do Tempo da Ficção Científica Britânica: Música

Relacionado à linha do tempo da Ficção Científica Britânica (conforme visto na mostra da Cultura Inglesa de 2011 em SP, clique aqui para saber mais), há muita referência musical:

final dos 1960s: Space Rock, influenciado pela
corrida espacial e o filme 2001: Uma Odisséia no Espaço.

Bandas como Pink Floyd (que participou da abertura do UFO Club, em Londres em 1966), 

Hawkwind, Spacemen 3, Spiritualized,
Ozric Tentacles, Flying Saucer Attack, Flotation Toy Warning 

entre outras.
Space Rock.


SPACE ODDITY

1969: BBC usa a música Space Oddity de David Bowie
como trilha sonora da chegada da nave Apolo II à Lua.

1970: série UFO, de Gerry e Sylvia Anderson.

1970: a tiragem de The Atrocity Exhibition, de J.G. Ballard, é destruída pela editora.

1971: filme Laranja Mecânica de Stanley Kubrick,
adaptado do livro homônimo de Anthony Burgess.

1971: M.John Harrison, autor de The Commited Man.

1972: Bob Shaw, autor de Other Days, Other Eyes.

1973: série The Tomorrow People.

1973: J.G. Ballard e o romance Crash, sobre a "Tecnologia Perversa".

1974: filme Zardoz, de John Boorman, com o ex-007 Sean Connery.

1974: Christopher Priest, autor de Inverted World.
David Bowie

Abraços, curtam e até a próxima!
Leandro M:D>
São Paulo, maio2011 / novembro2014
"Ao contrário do conhecimento,  é impossível multiplicar a riqueza tentando dividi-la."
np - Ozzy Osbourne -  Killer Of Giants