quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

A cura da unha!

Já que começamos um ano novo hoje, e ano novo sempre é tempo de inícios e reinícios, hoje temos aqui no blog um exemplo de renovação. Vejam as fotos (com e sem zoom da lupa):


ANTES
Uma unha doente, em maio de 2011:








DURANTE
A mesma unha, ainda no tratamento da micose, em março de 2012:





DEPOIS
A mesmíssima unha, sã e salva, em dezembro de 2013, após o tratamento da podreira:







Aleluia, irmãos! Ueba!
Mas não é mágica: é medicina!


Por isso, a dica: procurem sempre um médico -- no caso, um dermatologista! 



Foi um remédio (em forma esmalte) que o dotô receitou. E o mesmo foi aplicado na unha zoada uma vez por semana (após lixada e limpa com um álcoolzinho que veio junto) por vários e vários meses.


O bichinho não foi barato, o frasco custava mais de cem reais -- mas pelo tempo que durou (e pelo resultado) valeu muito a pena! 


Só não vou falar o nome do produto para não incentivar a auto medicação. Como eu disse: procure um médico! Já vi remédios funcionarem para uma pessoa, mas não para outra...



Abraços, feliz 2014, tenham esperança e perseverança que tudo se resolve (até unha carcomida)!

Leandro M:-D>
Mai2011/Mar2012/Dez2013
"Não há borboletas sem a morte das lagartas."
np - Nena - 99 luftballons



6 comentários:

  1. Conta o milagre mas não fala o nome do santo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahah! Pois é, Marcelão!
      Conto o milagre e não falo o nome do santo, mas dou a dica de ir à igreja perguntar para o padre! hahaha!

      Se quiser, te mando o nome do remédio depois por e-mail, mas se eu publico, assumo que estou o divulgando, pode dar até processo, rsrs.

      Excluir
  2. E olha só o que ouvi um amigo meu falar:

    "Listerine como remédio caseiro"
    http://www.outramedicina.com/1130/listerine-como-remedio-caseiro

    ResponderExcluir
  3. Conversando com um camarada meu e fã do blog, lembrei o procedimento total pelo qual passei (que envolve mais do que só o esmalte e a consulta):

    1) fui à dermatologista consultar;
    2) ela não mexeu nem cortou nada da unha, mas indicou um remédio para tomar e um esmalte;
    3) comecei tomar remédio por 1 semana, depois ficava 3 semanas sem tomá-lo, depois recomeçava;
    4) o esmalte eu passava 1 vez por semana;
    5) ela pediu para fazer exame de fígado para ver se o remédio (que realmente é forte) me afetou;
    6) voltei e ela viu que remédio não me prejudicou;
    7) continuei tomando remédio e passando esmalte;
    8) em certo momento, remédio terminou, então continuei com esmalte;
    9) agora depois de tanto tempo que remédio acabou...

    ResponderExcluir
  4. isso que eu chamo de paciencia e persistencia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Fabi! Tudo na vida tem que ser assim, para conseguirmos os objetivos! Por isso, a analogia do tratamento da unha com a "época de renovação" e as coisas da vida! ;-)

      Excluir