sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Cabelos: não vendam, doem!
Pensem no Câncer...

Essa informação eu fiquei sabendo esses dias: existe a doação de cabelos para hospitais do câncer, inclusive infantil! (a queda de cabelo é uma das reações que podem ocorrer com alguns tipos de quimioterapias)


Mona Lisa na campanha contra o Câncer.

Resolvi averiguar a dica. Procurei no Google, mas não achei muita coisa sobre esse tipo de doação. 

Então procurei o nome e contato das instituições que cuidam de crianças com câncer, e fui telefonar uma por uma. 

Algumas me responderam que não têm estrutura para receber e cortar o cabelo -- que só aceitam a doação da peruca pronta.


Nino, o mascote da ITACI.

Um dos que achei na relação foi o ITACI - Instituto de Tratamento do Câncer Infantil, que fica em Pinheiros, na zona oste da Capital São Paulo. 
Site http://www.itaci.org.br/, telefones: (11) 2661-8962, 2661-8963 ou 2661-8968






Telefonei para o ITACI e me pediram para ligar para a parceira AÇÃO SOLIDÁRIA, e falar com a Sonia, Darci ou Fabiana no telefone 3082-9794.


Conversei por telefone com a Fabiana e resolvi ir até o local, na Rua Oscar Freire, 1990 (veja no Google Maps aqui).
A fachada do Bazar da Ação Solidária.


Eles mesmo não cortam a cabeleira, mas a Fabiana me acompanhou ao salão de cabeleireiro ao lado e cortei lá. Daí, cada mecha que a cabeleireira foi tirando, ela ia amarrando bem forte com elásticos, para que os fios não se perdessem.





O herói Super-Nino e parceria com a Fundação Criança.
Acabando a tosamento (que o salão nem cobrou os R$35 do corte masculino), voltei ao bazar da Ação Solidária e entreguei minha contribuição capilar.

Um belo trabalho que essa organização faz, e fui muito bem atendido. Depois descobri que eles também tem o site 
http://www.acaosolidaria.org.br/. 



Voltando sobre minhas buscas na internet, eu tinha visto algo sobre campanhas de doação de cabelo em Espírito Santo e Minas Gerais, até que uma das campanhas chamava "doe seu rabinho" ;-). 
E alguns sites de outros países eu também vi pessoas doando, inclusive com fotos orgulhosas da doação, como essas:

Antes...


... durante ...


...e depois da doação.

Mas em São Paulo, pelo jeito, o negócio não está sendo tão bem divulgado. Inclusive a moça do salão me disse que são poucas pessoas que vão lá para fazer essa doação. Inclusive, algumas clientes me olhavam com estranheza, pois não acharam comum uma pessoa com o cabelo de quase meio metro tendo os tufos cortados e guardados e depois passando a maquininha.

A Turma da Mônica na campanha contra o Câncer.
Para ser sincero, eu até tinha tentado vender a cabeleira na Rua Riachuelo (o Rei dos Cabelos), na Galeria do Rock/Grandes Galerias (Salão do Índio/Ísis) e na Galeria Black/Galeria Presidente (várias lojas e salões especializados). 

Mas como eu frequentemente raspo nas laterais e atrás da cabeça, o volume do meu cabelo é menor que o normal, e embora o comprimento seja grande, o peso não é o suficiente, e ninguém quis comprar...
Ah, e quando fiquei sabendo que existe a tal doação de cabelo, não pensei duas vezes: desisti da possível venda e quis ajudar!!

E, por coincidência (ou não), no caminho de casa até o bazar da doação achei esse cartaz pregado em uma muro na rua:


AS MELHORES COISAS DA VIDA
NÃO SÃO COISAS
Não precisa falar mais nada, né? ;-D

Eu até iria usar esse post de número 486 para falar sobre algo relacionado a computadores (saudade do meu primeiro micro, um 486 DX2 66), mas essa do cabelo me pegou de surpresa e precisei escrever (e fazer) sobre isso!

Abraços e pensem sobre as coisas que podem fazer vocês e outros felizes!


Leandro M:-D>
19dez2013
"Se estás ajudando na expectativa de que te agradeçam, deixa de fazê-lo. 
 Evita, assim, decepções. 
 Se o que fazes é pelo simples gosto de ajudar, continua. 
 Já estás sendo pago."
(Prof. Hermógenes) 
np – Madredeus - maio maduro maio



4 comentários: